Tapira Teen - A Revista Digital de Tapira
Publicado em: 06/07/2015
40 Milhas da Canastra agitam o domingo tapirense
Untitled Document

As 40 Milhas Canastra Race MTB aconteceram em Tapira no domingo (05), reunindo 177 ciclistas de todo o país em competições nas categorias amadora e profissional.

O grande vencedor da prova profissional foi Júnio Alves Vieira, da cidade de Patos de Minas, com o tempo de 2:16:15; 35 segundos à frente de Moisés Lourenço Silva Santos - 2º colocado e; quase três minutos antes de César Augusto - 3º colocado.

Na categoria Sport, melhor para Flávio Augusto Laert, que venceu com o tempo de 01:27:25, batendo Moacir Rogério Ferreira por apenas 1 segundo -o 3º colocado foi Rafael Trindade de Paiva, que chegou 02 minutos e 17 segundos depois. O melhor tapirense foi Paulo Rezende, que finalizou a prova em 9º lugar, com o tempo de 01:35:02.

"O circuito das duas provas teve um alto grau de dificuldade para as suas respectivas categorias. Em especial no profissional procuramos explorar ao máximo as características do relevo tapirense oferecendo aos atletas grandes desafios em um percurso de nível técnico completo que elevou ao máximo a adrenalina dos participantes. Pedalando por trilhas, atravessando cursos d’água e cachoeiras, enfrentando subidas bastante íngremes e descidas radicais, os ciclistas tiveram a oportunidade de viver a radicalidade e dificuldade do evento desfrutando de belíssimas paisagens naturais do município e de uma visão privilegiada do Parque Nacional da Serra da Canastra" - explicou Guilherme Leal, organizador das 40 Milhas.

O trajeto amador tinha 26 km, com saída pelo Parque de Exposições via Rua 1º de Março, contornou a Serra do Boqueirão, passou por trilhas até encontrar a altura do Córrego Sujão, voltou até a estrada do Boqueirão e teve a chegada novamente na cidade.

O circuito profissional percorreu 60 Km, começando com o mesmo trajeto da competição amadora até reencontrar a estrada do Boqueirão - no km 18 da prova. Deste ponto em diante, os competidores seguiram no sentido da Cachoeira da Parida até as proximidades da ponte sobre o Rio Araguari, descendo no sentido da Cachoeira do Nute - local onde os ciclistas tiveram que realizar travessia pé, carregando a bike. Encontrando novamente a estrada eles desceram rumo à Ponte da Purunga, onde começaram a enfrentar a mais longa e íngreme subida do trajeto até chegar à região do Cerrado. Daí em diante os atletas começaram o caminho de volta, passando pela ponte dos Rosas, seguindo até a Ponte sobre o Córrego da Capivara e chegaram na cidade pela estrada que dá acesso à Serra da Canastra.

O evento teve largada e chegada no Auto Posto Game, onde toda uma estrutura de entretenimento e suporte foi montada para atender ao público presente. Ali foram instalados estantes de massagem e avaliação física (oferecidos pelos cursos de fisioterapia e educação física da UNIARAXÁ); área com duchas para os atletas tomarem banho e lavar as suas bicicletas; além de som ao vivo com uma banda de pop rock.

"Vejo que a prova foi um sucesso. Esperávamos alcançar um número de 150 atletas e tivemos 177. Depois que a prova terminou a quantidade de pessoas que elogiaram a organização foi muito gratificante. O nosso trabalho foi muito intenso para que tudo ocorresse da melhor forma possível e esse feedback positivo que recebemos mostra que o nosso esforço não foi em vão" - destacou Guilherme.

Untitled Document
Mais notícias sobre Esportes
Untitled Document